Arquivo | maio, 2007

Skate e Arte

31 maio

flavio-samelo007.jpg

flavio-samelo006.jpg

O fotógrafo e skatista Flavio Samelo está participando do projeto Easpak Art Sat, promovido pela marca de acessórios Eastpak. Isso significa que até o dia 15 de junho, Flavio estará “residindo” na loja da Eastpak e criando, em parceria com o artista gráfico Tide Hellmeister, obras que podem ser adquiridas no local. Os preços são bem convidativos, em torno de R$ 300.

Eu estive na loja no sábado passado, gostei de uma série de imagens, mas todas elas já tinham sido arrematadas por um único sortudo. Acabei levando o livro de fotos “Skate Arte”, por módicos R$ 50 (fotos acima)

Aproveitei também para fazer este vídeo, em que Flavio explica como foi a criação da tal série (aquela que eu queria ter comprado!). Como a produção de obras continua a todo vapor, eu ainda vou voltar lá para conferir as novidades. A loja fica na rua Augusta 2685, tel. (11) 3081-1979

Anúncios

Sartorialist de balada

30 maio

Na época em que eu morava no interior, o hype mesmo era (ou ainda é) sair naqueles sites de fotos de baladas. Tinha um dois ou três e todo mundo se conhecia e reconhecia nessas imagens. Quando cheguei aqui em São Paulo vi que isso nem existia. Talvez pelo simples fato de que ninguém tem saco de ficar clicando os outros à toa numa festa ou talvez porque ninguém tem saco de ficar se procurado no meio de um zilhão de imagens… Whatever. Agora, tempos depois, não é que eu descubro que no exterior esse tipo de site anda fazendo sucesso?

dirty.jpg

Na Inglaterra, por exemplo, tem um chamado Dirty Dirty Dancing. Lançado em agosto de 2006, recebe quase 900 mil visitas por mês de todos os cantos do globo. Bom, você se pergunta: o que eu vou querer ver num site de fotos de festas que eu não fui, em lugares que eu não freqüento, com pessoas que eu não conheço? Simples. Ver a cara, a atitude e, é claro, a roupa/montação do povo de lá! Tipo Sartorialist das baladas.

know.jpg

O Dirty Dancing é mantido pelo fotógrafo Alistair Allan, cujos trabalhos de moda estão publicados em revistas como Vogue, Elle e Vanity Fair. Pelo que li no rraurl, Alistair é um geek assumido e “quando sai à noite para fotografar deixa no site as imagens que captou ainda antes do amanhecer, dormindo uma média de quatro horas por noite”. Detalhe: ele não cobra nenhum cent pra fazer isso! Se você é cool, será fotografado certamente. É exatamente por isso que Alistair acabou virando selo de qualidade das festas (imagino que os promoters devem se matar pela presença dele…rs).

last.jpg

Na esteira desse sucesso, outros dois sites parecidos vêm sendo muito comentados (e acessados, claro): We Know What You Did Last Night e o Last Night Party. O primeiro é mantido por Chris Birkenshaw e tem esquema de busca guiado ou pelo nome da festa ou pelo nome das bandas. Já o Last Night Party, pioneiro nos EUA, traz vídeos e fotos divididas por sessões temáticas

Postado por Glauco Sabino/ descolex

síndrome de estocolmo

28 maio

No finzinho de abril o Yvan, dono do blog Face Hunter, avisou que tava se mudando de Paris pra Londres. Disse que as pessoas mais velhas em Paris mantinham seu senso de estilo mas que os jovens perderam essa herança e não ousavam mais, não impressionavam. Yvan disse que se mudou pra continuar “caçando personalidades em vez de somente tendências”, gente que vira ‘curador do seu próprio estilo’.

street-style-blogs-pqn.jpg

Que os sites de street style estão meio obrigando a indústria da imagem de moda a se mexer de um jeito incômodo (pra ela), mas provavelmente definitivo: esses sites são mais dinâmicos, mais inspiradores, mais abrangentes e – melhor parte – mais inspiradores. Mesmo. Não tem nada melhor do que ver alguém da vida real usando algo que faz o nosso olho brilhar, que dá vontade de usar também: porque é como se a gente tivesse mais garantia de que que rola, de que não foi tão milimetricamente calculado (como nos editoriais), de que corpos da vida real também podem, e não só modelas.

No texto da coluna Última Moda de sexta passada (que o blog Oh! respondeu) o Alcino fala dessa nova dinâmica e da ‘mudança da geopolítica fashion’: “cidades até então ignoradas pelos fashionistas – como Estocolmo (Suécia), Helsinque (Finlândia) e Reykjavík (Islândia) – passaram a ganhar peso igual às chamadas ‘capitais da moda’. “As grandes semanas de moda podem até continuar nos mesmos lugares, mas a inspiração não virá mais de lá” (essa última frase é do Face Hunter).”

street-style-blog-pqn.jpg

Incluir referências (sutilezas) da cultura e do costume regional no vestir faz super diferença, e acrescenta ainda mais personalidade ao vestir (Balenciaga fez todo um desfile fundamentado nisso) – a gente aqui no BR devia fazer mais, de um jeito mais inteligente. O Face Hunter mesmo, quando esteve aqui, achou a gente bem tradicional no vestir – e olha que ele tava na Bienal, durante o SPFW, hein? A gente precisa mesmo perder o medo das cores, se deixar experimentar outras modelagens (e volumes também, por que não?), parar de se achar “fashion” por nada e se inspirar meeeesmo.

streetstyle-pqn.jpg

A gente precisa perder a preguiça e dedicar um tempinho aos brechós que a gente tem aqui – poucos e difíceis, mas é o que a gente tem…. O Alcino reclamou na coluna que os poucos blogs brasileiros que se dedicam a registrar street style (existe isso aqui?) não são atualizados há muito. Eu acho, de verdade, que a gente tem que reaprender a ser legal no vestir, pelo menos pra tentar acompanhar o povo sueco! Aí, sim, vai dar vontade de ver ‘blogs brasileiros de street style’.

postado por Oficina de Estilo

Moda pra Ler entrevista: Dany Roland

28 maio

Os tambores para as duas principais semanas de moda brasileiras estão esquentando. O Moda pra Ler entrou no ritmo e ouviu Dany Roland, músico e produtor que participa ativamente do mundo da moda. No próximo Fashion Rio ele assinará as trilhas de Eliza Conde, Maria Bonita Extra e Salinas. Em seu currículo estão trabalhos para Raya de Goye, Salinas, Sommer, Colcci, Isabela Capeto, além de trilhas memoráveis como os desfiles da Blue Man que levaram funkeiros para a passarela e um coral de 800 pessoas aos Arcos da Lapa.

O músico também é conhecido como integrante da banda Metrô, referência pop dos anos 80. A banda lançou um disco revival no final de 2002 e deve lançar um novo projeto em breve. Atualmente, além dos trabalhos para moda, Dany integra o trio de bateristas “Os Ritimistas”, formado por ele, Domenico Lancelloti (+2, Orquestra Imperial) e Stephane San Juan (+2, Orquestra Imperial, Lobão).

Fruto do mundo da moda, o grupo surgiu por acaso depois que a estilista Layana Thomas convidou os três para tocar num desfile seu. A parceria deu tão certo que eles já tem um disco pronto que será lançado primeiro no Japão e só no segundo semestre chega às lojas brasileiras. A estréia como “Os Ritimistas” foi no desfile inverno 2007 da Maria Bonita Extra.

Em entrevista ao Moda pra ler Dany falou sobre seu novo projeto e sobre sua experiência com o mundo da moda.

Como vc começou a fazer trilhas de desfile?

Em 2000 recebi um convite do Alberto Renault para produzir a trilha da Salinas em parceria com o DJ Gustavo Tatá. O desfile era sobre o Rio de Janeiro (Cidade Maravilhosa) e as musicas eram remixes ou reedições de músicas do Jorge Ben Jor. Encontrei com o Jorge BenJor num estúdio na Barra para mostrar algumas faixas. Ele escutou tudo num tal silêncio que achei que ele estivesse odiando, mas ele amou. Tanto que ele acabou gravando dois poemas inéditos, de sua autoria, sobre o Rio que usamos em cima de umas bases antigas. Ficou maravilhoso! Desde então sempre tenho produzido para desfiles. Adoro.

Como uma trilha de desfile é desenvolvida?
Recebo um “briefing” da coleção: estação, inspiração, tabela de cores,etc. Faço uma pesquisa gigantesca. Ouço no mínimo umas 300 musicas, edito, mixo e remixo tudo. A marca espera que a trilha seja a cara, o corpo e a alma da coleção. A trilha é o chão da passarela.

Blue Man Primavera verão 2007

E quando o desfile pede algo mais performático, como os da Blue Man, ou o Salinas que tinha a Carmen Miranda como tema?
No caso da Blue Man, os desfiles foram dirigidos pela Bia Lessa e a mixagem foi ao vivo. Fico em contato com ela no fone e ela me passa as instruções Tudo é marcado milimetricamente, como num espetáculo teatral ou uma opera. O desfile dos Arcos da Lapa durou 40 minutos! Adrenalina pura. Na Salinas, foi dirigido por Renault. Fizemos uma pesquisa imensa na obra de Carmem Miranda e tocamos ao vivo com o Rrose Sélavy, meu projeto com Pedro Sá e Rubinho Jacobina e a cantora e bandolinista Nilze Carvalho. Nos apresentamos “discretamente” no meio de toneladas de caixas de bananas Também foi um desafio usamos vários samplers de baterias de escola de samba e tocávamos em cima e era tudo marcado também. Não dá pra errar!

Tem alguma marca que você tenha uma parceria mais fixa?
Tenho feito os últimos desfiles da Maria Bonita Extra. Fiz as últimas três temporadas da Colcci e da Mara Mac também. O que existe é mais uma parceria minha com os diretores Alberto Renault e Bia Lessa.

Salinas – verão 2006

Qual o desfile mais marcante da sua carreira?
TODOS, sem exagero. Tenho carinho por cada um. Mas cito alguns: Os já falados da Blue Man, o da Salinas; o da -Raya de Goeye no Teatro Municipal de São Paulo tocando ao vivo no fosso da orquestra com o Rrose Sélavy; o do Marcelo Sommer …o da chuva…as pessoas choravam no final; o da Maria Bonita Extra com Os Ritmistas + Pedro Sá; o da Isabela Capeto no meio da obra de Andy Warhol no MAM; e o da Layana Thomaz que uniu os Ritmistas.

Maria Bonita Extra – Inverno 2007

Tem algum músico que seja referencia em trilha de desfile para você?
Gosto muito dos trabalhos do Seigen Ono para Comme des Garçons.

Não é comum ouvir músicas brasileiras nos desfiles? Há alguma explicação pra isso?
Acho que já foi assim, mas agora é muito comum ter musica brasileira sim. Tem algumas marcas que chamam até escola de samba ao vivo.

E esse seu novo trabalho “Os Ritimistas”. Veremos vocês ação em algum desfile da próxima temporada?
Os Ritmistas é um trio formado por três bateristas. Nos reunimos convidados por Layana Thomaz para produzir a trilha do seu desfile no Fashion Rio (Obrigado Layana!). Gostamos tanto da experiência que continuamos gravando. Convidamos vários amigos para participar: Wilson das Neves (nosso mestre), Pedro Sá, Kassin, Berna Ceppas, Chelpa Ferro, Thalma de Freitas, Donatinho, Virginie, Yann Lao e vários outros. E estamos lançando agora nosso primeiro álbum, chamado “Os Ritmisitas”. Na temporada passada tocamos ao vivo no desfile da Maria Bonita Extra aqui no Rio foi fantástico. Aliás foi nossa estréia ao vivo.

Fala um pouco desse projeto. O Domenico e o Kassin da Monoral tem uma relação bem estreita com o Japão. Isso determinou o fato de lançar o disco primeiro em Tóquio? E aqui quando sai?
Quando Domenico e Stephane foram pro Japão para lançar “Kassin +2” mostraram para alguns selos e de imediato recebemos várias propostas. O CD está saindo em junho no Japão pelo NRT.
E no Brasil, provavelmente este ano pela Dubas. O +2 (Moreno, Domenico, Kassin) tem uma longa e sólida história no Japão e tem um publico fiel e cativo. Pra ter uma idéia no último show deles lá o Cornélius e Takako Minekawa tocaram com eles o show todo. Sabiam todas as musicas !

E o Metrô? Alguma chance de se apresentarem aqui de novo?
Claro, agora mais ainda. A Virginie está mais “perto”, morando em Montevidéu. (Antes ela morava em Moçambique). E temos planos de gravar também. Já temos material: coisas que gravamos em Moçambique e Paris quando estivemos lá fazendo shows e musicas que tenho gravado aqui no Rio e em São Paulo com vários parceiros. Só falta botar a voz.

Para ouvir mais:
http://www.myspace.com/osritmistas

***
Imagens:
Dany e desfile Maria Bonita Extra – Erika Palomino
Desfiles Salinas e Blue Man – Terra/moda

postado por Laura Artigas/ Moda pra ler

links de fim de semana

27 maio

** O Gustavo Garcez fez post no FilmeFashion sobre o corte de cabelo do momento – o texto ficou incrível, construído de um jeito super criativo (espertinho, ele!). A Biti usa esse corte desde que eu a conheço (bem fina!) e falou dele na época que a Barbara Berger cortou. O post do Gustavo tá rendendo mil comentários, dos mais ‘inusitados’: ele tá tendo o “dia de Glória Kalil” dele, respondendo dúvidas com um super bom-humor. Tá engraçado mesmo!

corte-de-cabelo-curto-da-moda.jpg
gatas: biti, victoria beckham, barbara berger e sienna miller

** Mais do FF: sem querer, teve essa semana um “especial Chanel” no site! O FF é um mega-blog (ou site mesmo???) gerenciado pela Alexandra Farah, pra onde um monte de monitores mandam notícias que ela edita e põe no ar. Ninguém combinou, mas ao mesmo tempo todo mundo falou sobre a marca e sobre a estilista em si, um monte de coisas legais, um monte de filminhos – é só digitar ‘chanel’ na busca que os links vêm todos juntos. Legal, né?

** No CHIC tem lista de 20 pontas de estoque aqui em SP (delíííícia!) e tem notinha contando das palestras de moda na Escola SP: diz que toda segunda vai ter conversinha com pessoas do meio sobre assuntos relacionados. O primeiro já é amanhã, dia 28, com Fabrizio Rollo (da Vogue – se eu fosse menino, queria ser igual a ele), que vai falar de moda masculina. Super vou.

** No Da Groselha tem post e fotinhos do filme Klimt, sobre o artista – com John Malkovich no papel principal (tudo!). O filme ainda não tá pronto, mas vai ser filme-fashion obrigatório, que tem toda uma relação entre o artista em si, sua obra e suas inpirações e a moda. O Moda Pra Ler fez post explicando tudinho dessa relação (porque a revista Caras estampou a obra do artista em sua coleção – ahãm, tem uma coleção…). Super vale a leitura.

klimt-e-a-moda.jpg
clica pra ver grande! super vale a pena!

** Sexta a coluna do Alcino Leite Neto na Folha de SP falou sobre blogs de street style e das mudanças que eles têm provocado em toda a engrenagem da moda, e no finzinho ele falou de blogs brasileiros, mas de um jeito superficial e omisso. A Olivia do incrível (mil vezes incrível!) blog Oh! respondeu do jeito mais inteligente, bem fundamentado, seguro e consistente. Só essa história renderia um post inteiro, né?

** Pra terminar, no site do SPFW tem editorial novo, fotografado pelo Rogério Cavalcanti. Super super legal porque todas as roupas são pretas, mas brincam de volumes e luzes e sombras. Bem lindo.

postado por oficina de estilo!

O melhor do sábado

25 maio

NOVO OLHAR
pelu-priscila-darolt-cut.jpg

Que tal espantar a preguiça e fazer uns programinhas legais neste sábado? Boas opções não faltam!

Você já conhece a Pelu? É uma loja charmosa escondidinha numa vila da alameda Lorena, cheia de roupas bacanas escolhidas a dedo por Helena Linhares. Pois é lá que acontece, neste sábado, das 16 às 22 horas, o lançamento da coleção de Priscila Darolt, jovem e talentosa estilista que estreou (com sucesso) na útima edição do São Paulo Fashion Week.

E se você estiver precisando de um corte de cabelo ou de uma maquiagem especial, para se sentir linda, não deixe de marcar uma hora no salão de beleza SELF, que fica no andar de cima da loja. Théo Carias (top maquiador) e Paulo César Schettini (cabeleireiro) mandam muito bem.

Pelu e Self: alameda Lorena, 1257, tel. 11 3891-1229, baixo Jardins.

A ARTE DAS RUAS

flavio-samello_tide2.jpg

Para quem curte arte e streetwear, a parada obrigatória é a Eastpak. A loja das mochilas mais hype do mundo, promove o evento “Eastpak Art Sat”, em que artistas são convidados a passar uma temporada na loja, desenvolvendo algum projeto artístico. No momento, o artista residente é o fotógrafo e skatista Flavio Samelo. Conhecido pelas fotos do universo do skate, Samelo se uniu ao artista visual Tide Hellmeister, cujo trabalho utiliza elementos como colagem e tipografia. O resultado? Obras incríveis que você pode adquirir por cerca R$ 300.

Eastpak: rua Augusta, 2685, tel. 11 3081 1979, Jardins. Horário: das 10 às 20 horas.

 CORTE DE GASTOS

 dorothy.jpg

Um bazar é sempre um convite tentador, não é mesmo? E este, promovido por Dorothy Campolongo, é dos bons porque tem peças femininas e básicas de várias coleções, com descontos de 80%! Corre lá, porque o que é bom dura pouco!

Bazar: rua Faisão, 75 (entre rua Girassol e rua Harmonia), tel. 11 3817 5053, VilaMadalena.

Postado por Biti Averbach / Moda sem Frescura

casa de criadores: passarela x vida real II

24 maio

Pra fechar a temporada de ‘trends que já vimos’ e já começar o preparo pra próxima temporada (que a gente vai ajudar a “inaugurar”!!), até que enfim sai o post segunda parte das tendencinhas que vimos no Casa de Criadores. Acaba que o que tem aqui é um pouco tendência e um pouco recurso de styling pessoal permanente – se a gente pensar que algumas dessas coisas são sim sazonais, ma soutras a gente ensina pras nossas clientes desde sempre… e é sempre legal.

colete: Kate Moss ainda é a melhor referência, mas a gente viu tanto colete fofo nos desfile do CDC que a Cris saiu no último dia dizendo que ia atrás de um pra ela! Dá pra usar com jeans de todos os jeitos (short, calça, sainha, bermuda…), dá pra usar com calça alfaiataria, dá pra fazer sobreposição com as camisas e blusas mais larguinhas dessa estação… e sobreposição é outro ‘item’ legal, logo aqui embaixo.

tendencia-colete-casa-de-criadores.jpg

sobreposições/proporções: a gente curte desde sempre, e agora tá super ‘em alta’ (hahaha!). Usar sobreposições de peças com comprimentos diferentes é sempre legal: casaquinho de magas 3/4 com blusa de mangas compridas por baixo, colete curtinho com bata mais longa, tricô sobre vestido sobre calça…. escolher peças em cores diferentes e brincar com as coordenações é a melhor parte.

tendencia-proporcoes-casa-de-criadores.jpg

maxipull/vestidinhos de tricô: dá pra ser um ou outro, né? O maxipull já tinha aparecido um tanto no SPFW, época em que a gente não conseguia nem pensar em usar um monte de lã assim… diferente de agora, né? Tá perfeito pra ter um maxipull pra usar sobre skinny jeans (ou skinny qualquer coisa!), sobre bermudas e shorts não tão curtinhos, ou como vestidinho – sobre meia-calça opaca, sobre legging ou de pernoca de fora, com uma bota bem linda.

tendencia-maxipull-casa-de-criadores.jpg

alfaiataria de moletom!: é a onda sportswear que nunca mais vai embora, a gente acha. É tanta coisa pra gente fazer no nosso mundo moderno/globalizado (ainda mais pra gente na internerd!), que conforto é importantíssimo. Um monte de gente cortando e moldando peças com estrutura de alfaiataria, mas em moletom e outros tecidos molinhos e agradáveis ao toque. Teve paletó, vestidinho (o do Thiago Marcon, cinza com a Tina, é objeto de desejo intantâneo), calça e outras tantas pecitas.

tendencia-moletom-casa-de-criadores.jpg

E o lurex também apareceu (muito no desfile das Gêmeas), mas não tinha tanta referência que nos sustentasse visualmente aqui no blog. E nas araras o lurex já tá marcando presença em forma de camiseta pólo (um charmiiiiiiinho!), vestidinho amplo, legging (ahãm!) e detalhes e recortes em peças opacas pra brincar de brilho e não brilho.

Agora é só montar os looks das semanas de moda que estão vindo pra gente começar a pensar no que vamos usar logo em seguida…. tipo beeeem fashion victims, que a gente adora!

postado por oficina de estilo