O Brazil não conhece o Brasil

22 jul

Precisão
Clarice Lispector

O que me tranquiliza
é que tudo o que existe,
existe com uma precisão absoluta.
O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete
não transborda nem uma fração de milímetro
além do tamanho de uma cabeça de alfinete.
Tudo o que existe é de uma grande exatidão.
Pena é que a maior parte do que existe
com essa exatidão
nos é tecnicamente invisível.
O bom é que a verdade chega a nós
como um sentido secreto das coisas.
Nós terminamos adivinhando, confusos,
a perfeição.

OLIVEROS DIZ: Na coluna da semana passada, Orgulho de Ser Brasileiro, comentei sobre como acho importante perceber o quanto a moda brasileira avança quando ela se refere a nossa própria cultura. Todo mundo sabe o quanto o cinema americano foi importante para difundir o american way of life, e penso que a moda hoje pode muito bem cumprir esse papel.

Quando a moda não fala só de si, ela pode ser a ponte para que nós possamos ser refletidos nela, e o quanto isso pode contribuir para que a nossa moda seja conhecida no mundo, longe dos esteriótipos futebol, samba e praia. Quando a moda extrapola a noção primordial da roupa de apenas cobrir o corpo, ela pode transformar-se em matéria prima da difusão cultural.

O Brasil não conhece o Brasil, mais do que um refrão cantado por Elis Regina, é uma daquelas verdades que refletem de um lado, a nossa estatura gigantesca enquanto país-continente e de outro, a vontade de ser primeiro mundo e esquecer nosso passado a qualquer custo, e que é o nosso maior dom, o de ser mestiço, como não acontece em nenhum outro lugar.

Ser mestiço soa como se fossemos sempre filhos bastardos. Mas são estes bastardos, como Aleijadinho, que permitem sermos originais.

 

Na moda é a mesma coisa. Foi-se o tempo que o que era moda vinha de Paris e nossos costureiros tinham que reinventar os Diors da vida. Hoje o mundo precisa da diferença. É esse jeito mestiço que pode ser nosso trampolim.

Então, se podemos investir nisso, porque continuar olhando para o além mar?

Já pensaram numa coleção inspirada em Helio Oiticica, Lygia Clark? Já pensaram em quantos artistas plásticos podem ser convidados para desenvolver uma estamparia única, como a Rhodia fez na década de 60? Ou como seria linda e chic uma coleção Clarice Lispector? Ou sexy e perversa como Nelson Rodrigues?

Tá na hora de pensar coleções com roupas repletas de mensagens, atitudes, conceitos que alargam os sentidos do que foi a folha de parreira no paraíso perdido: cobrir as vergonhas. E parar de olhar para a cultura dos outros, para encobrir nossas próprias “vergonhas”.

P.S.: Hoje não tem imagem, não, porque cada um pode formar a sua própria Imagem, tah?

 

 

Anúncios

4 Respostas to “O Brazil não conhece o Brasil”

  1. Oficina de Estilo 23 de julho de 2007 às 1:34 am #

    só pelo poema do começo já se formaram mil imagens pra mim, só minhas. adorei a idéia, você arraaaaaaasa! =)

  2. Staff da Moda 26 de julho de 2007 às 7:54 pm #

    Tudo isso é muito verdadeiro, mas é verdade também que na maioria das vezes, o estilista brasileiro não sabe administrar o seu negócio. Ou há casos em que a empresa é familiar e não há profissionalismo nenhum na condução do business. E será que se uma empresa fizer uma coleção com o tema Nelson Rodrigues, vai estourar de vender? Não podemos nos esquecer que tudo funciona num ciclo. Se o consumidor ganha bem, pode gastar mais, se o consumidor é bem informado, vai parar de querer comprar cópias do estrangeiro, ao mesmo tempo, se o empresário de moda brasileiro conseguir fabricar e vender seu produto e obter lucro no final, pode produzir cada vez mais e desenvolver uma identidade. Acho que o setor brasileiro que mais necessita buscar referências de fora é o governo. Referências de como gastar bem o dinheiro público, referências de como reduzir a carga tributária para que não precisemos trabalhar 4 meses por ano somente para satisfazer o leão. Referências de como trabalhar com honestidade e ser eficiente. Porque nosso governo se repete desde o início, não há nada mais brasileiro neste país do que nossos governantes.

  3. dusinfernus 27 de julho de 2007 às 6:34 am #

    não se esqueça que ás vezes pode ser uma coleção macumba para turistas como as coleções do, da … deixa pra lá… arreguei

Trackbacks/Pingbacks

  1. Coluna no BlogView « Fora de Moda - 23 de julho de 2007

    […] no BlogView Ui, muito de ressaca, confesso, escrevi o artigo O Brazil não conhece o Brasil na minha coluna do domingo do […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: