QUE DESEJO TEMOS PELA MODA?

3 ago

VITOR DIZ: O meio de moda tem seus modismos, igual a qualquer um. Lembro de um importante sociólogo francês em visita ao Brasil que adorava falar a palavra dispositivo. Depois de sua passagem pelo país, todo pessoal  da FFLCH da USP adotou o termo. Usávamos essa palavra até para tomar um café: o dispositivo necessidade. 

Eu sempre ouço com freqüência nas rodas de moda frases como “aquela roupa não me despertou desejo”. E eu senti desejo de pensar melhor sobre isso. 

Antes de tudo, eu brevemente queria dizer que acho sim a moda uma manifestação artística. Não em toda sua extensão, mas ela consegue como o cinema, a culinária ou a fotografia alcançar patamares artísticos que muitas vezes antecedem o que as chamadas artes tradicionais estão pensando em projetar. 

As contribuições da moda no terreno da arte são extensas e Oliveros aqui no Blogview já salientou algumas de forma muito lúcida.   

Conclusão feita a respeito do caráter artístico da moda, eu continuo minhas divagações. Pego emprestado uma análise brilhante do escritor James Joyce descrita em um de seus grandes livros-desafios:  “Retrato do Artista Quando Jovem”. 

Ele afirma em um trecho do livro que existe dois tipos de arte: Uma pornográfica e outra transcendente. A arte pornográfica será sempre aquela que não alcançar os 3 valores básicos fundamentais para uma arte poder transcender: “Integridade, harmonia e radiância”. A integridade estaria relacionada com o conteúdo (ética), a harmonia com a forma (estética) e a radiância com a religação com o transcendente, aquilo que faz a arte ser sublime e perene, pelo menos enquanto ela estiver com seus elementos ativos. Algo difícil de descrever, mas fácil de perceber. 

A outra arte, na visão de Joyce, algo muito menor e sem real valor artístico, seria aquela que nunca passaria das necessidades mais materiais: o desejo, por isso o termo pornográfico.

 Joyce usa a palavra arte pornográfica para designar aquela arte que ele não considera de valor e nem perene, mas que por certas circunstâncias recebe essa alcunha (arte).  

Toda vez que uma roupa nos desperta desejo, ela está no campo da pornografia. E parece jogar a moda a uma região que ela mesma está fadada, a de uma manifestação cultural da mesma importância que os filmes pornográficos. Desejo + mercadoria + compra + saciedade + descarte. 

Agora quando uma roupa nos desperta mais que desejo, é bom pararmos pra ver o que esse momento significa. É quando a moda, deixa de se movimentar como algo sempre fadado ao mundo material e realmente brilha como arte maior. 

Goste ou não. Os elementos da arte transcendente estão nesse desfile de Jum Nakao.

Anúncios

8 Respostas to “QUE DESEJO TEMOS PELA MODA?”

  1. Biti Averbach 4 de agosto de 2007 às 1:22 pm #

    Maravilhoso, o texto! E que prazer rever essas imagens! Thanx e bjs!

Trackbacks/Pingbacks

  1. COLUNA DUS*****INFERNUS NO BLOGVIEW « dus*****infernus - 3 de agosto de 2007

    […] lá no Blogview saber a […]

  2. Moda e desejo « Moda Sem Frescura - 4 de agosto de 2007

    […] O jornalista (e colega de BlogView) Vitor Angelo escreveu ontem uma matéria sobre este assunto, citando uma definição de James Joyce que categoriza a arte como pornográfica ou transcendente. Leia, aqui. […]

  3. Por onde sua agulha costura… « BlogView - 5 de agosto de 2007

    […] onde sua agulha costura… Aproveitando que o Vitor Angelo escreveu sobre os valores artísticos da Moda e a Biti Averbach citou o Décio Pignatari, que em entrevista para a Folha de São Paulo, […]

  4. A MODA PODE SER ARTE, APESAR DE NÃO PRECISAR « dus*****infernus - 9 de agosto de 2007

    […] 8th, 2007 · No Comments O Ricardo Oliveros a partir de um post meu e de um texto da Biti sobre uma excelente entrevista com o poeta concreto Décio Pignatari levantou […]

  5. MODA É ARTE? A CONSULTORA MARIANA ROCHA AQUECE A DISCUSSÃO « dus*****infernus - 10 de agosto de 2007

    […] partir das colunas de Biti Averbach, dos comentários de Vitor Ângelo e da coluna do […]

  6. me vejo no que vejo » Blog Archive » Ciclo… - 17 de agosto de 2007

    […] revendo o texto de Vitor Angelo de 3 de agosto entitulado “Que desejo temos pela moda?” e comecei a pensar sobre o ciclo da moda. Como Vitor mesmo disse esse ciclo é “Desejo + […]

  7. Moda e desejo at Moda Sem Frescura - 24 de agosto de 2007

    […] O jornalista (e colega de BlogView) Vitor Angelo escreveu ontem uma matéria sobre este assunto, citando uma definição de James Joyce que categoriza a arte como pornográfica ou transcendente. Leia, aqui. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: