Por onde costura a agulha de Jum Nakao

26 ago

OLIVEROS DIZ: Bom, nesta série que estou escrevendo aos domingos, procuro refletir sobre como o povo da moda acaba indo para a arte em busca de novos caminhos e fronteiras. Tudo começou com o artigo Por onde sua agulha costura, para explicitar que Moda não é Arte.

Depois vieram os artigos sobre a Karlla Girotto e o Maurício Iânes . Engraçado, que quando comecei o primeiro seria Jum Nakao. Depois, pensei que era óbvio demais, porque ele é o grande exemplo do cruzamento de fronteiras entre Moda e Arte, principalmente depois do seu desfile-manifesto com as roupas de papel.

Eu escrevi um artigo para o dossiê sobre Moda e Arte para revista Cult sobre o desfile. Considero este texto uma síntese sobre o que eu penso sobre estas relações. Depois, acho que fiquei repetindo a mesma coisa, como o velho Barbosa, personagem do Ney Latorraca, na TV Pirata.

Para tentar não me repetir tanto assim, vou relatar a primeira vez que convidei o Jum Nakao para participar de uma exposição de artes plásticas.

Conheço o trabalho do Jum há muito tempo, desde seus desfiles no Phytoervas Fashion (1996), que eu assistia ainda pela TV, e depois revi no documentário Moda Brasileira, 1 olhar de Ruth Slinger. Por causa de uma crítica que eu escrevi no extinto site gay Supersite sobre o desfile A Carta (2000) em que ele homenageava Ronaldo Fraga e vice-e-versa, eles quiseram me conhecer. Daí para frente, pude acompanhar mais de perto o trabalho dele.

No seu desfile do verão 2003/2004, Nakao fez uma coleção-tributo à obra dos animadores Stephen e Timothy Quay, os irmãos americanos radicados em Londres que ganharam projeção por imprimir uma nova estética nos curtas de animação.


Animação The Epic of Gilgamesh (1985) dos Brohers Quay

Mais do que o belo desfile, o catálogo me chamou muita atenção. Quando eu estava pesquisando artistas para a exposição Imagética em 2003, propus para os outros curadores apresentar este trabalho, porque achava que era uma síntese do cruzamento de linguagens. Tive que defender muito minha tese até convencê-los.

bq_jun-7.jpg
Imagem do catálogo do Jum Nakao

O resultado foi uma instalação com ambiente sonoro, projeção de imagens, impressos do catálogo, amostras das etapas do processamento das matérias prima, maquete do cenário, bonecos e até um manequim com roupa de bailarina na abertura do desfile.

jum_nakao_01.jpg jum_nakao_05.jpg
Imagens da instalação de Jum Nakao em Imagética

Assim, o público pode ver ao vivo as bonecas surrealistas das fotos do catálogo e foi a primeira vez que trabalhei com moda numa exposição. Depois do desfile das roupas de papel, na coletiva Grátis (julho de 2004), na Galeria Vermelho, Jum Nakao apresentou a Fonte dos Desejos.

195.jpg
A fonte destruída de Jum Nakao

Por coincidência, só viu este trabalho por inteiro quem foi na abertura da mostra. Durante a noite, a fonte se partiu, e o que restou foi um vídeo documentando as pessoas que faziam seus desejos. Assim, como as roupas que só existiram no desfile, a fonte também fez seu paralelo.

Daí para frente, todo mundo já sabe. Jum Nakao participou de várias exposições e, além de ser reconhecido como um estilista de grande talento, já tem seu lugar nas artes.

Anúncios

6 Respostas to “Por onde costura a agulha de Jum Nakao”

  1. marco sabino 27 de agosto de 2007 às 7:26 am #

    Oliveros,
    Tenho acompanhado algumas discussões de vocês.
    Achei interessante os pontos de vista e as fotos, etc, que você tem colocado.
    A discussão sobre Moda e Arte vem de longa data e talvez nunca chegue a um consenso.
    Em 1985, por exemplo, fiz um lançamento no Rio de Janeiro, chamado “Marco Sabino – Arte Assinada”. Havia observado que a Swatch convidara artistas como Keith Harring para colocar seu trabalho nos mostradores de relógios.
    Quis fazer algo parecido no Brasil.
    Na época, os brincos-argola estavam em seu auge e, assim, eu convidei alguns artistas da famosa Geração 80 para que pintassem o mesmo modelo de argola que eu havia criado. Jorge Barrão, Guilherme Sechin, Ricardo Basbaum e vários outros toparam e fizeram seus trabalhos. Não contente com isso, mandei
    aumentar bastante o tamanho das argolas, pedi que eles as pintassem também e realizassem algum trabalho que interagisse com os brincos. O resultado foi belíssmo e a exposição com instalações, etc, um tremendo sucesso.
    Várias pessoas adquiriram as argolas pintadas pelos artistas (não reproduzidas industrialmente como na Swatch ou os tecidos da Rhodia nos anos 60, por exemplo) e usaram-nas nas orelhas.
    Eram simples argolas de resina que haviam ganho um outro status. Acabaram resultando num tipo de wearable art, mas a minha intenção era demonstrar a interação entre moda e arte.
    Quando o pincel do artista conceituado sai da tela e pinta algo usável, cria um trabalho igualmente artístico, não?
    A orelha da pessoa carrega uma espécie de tela, Arte, como a parede carrega o quadro, Arte,…
    Um abraço,
    Marco Sabino

  2. Aline Lamm 28 de agosto de 2007 às 5:09 pm #

    Dizer que a Moda não é Arte não a diminui, pelo contrário, dá a Moda a importância que ela tem. Isso não significa que não possa haver um intercâmbio, uma troca entre ambas. É apenas uma questão de conceitualização para evitar que a Moda ganhe o título medieval de arte aplicada.

  3. 28 de agosto de 2007 às 7:49 pm #

    Adorei a citação de TV Pirata (que eu sou suuuper intelectualizada!). =)

  4. dusinfernus 29 de agosto de 2007 às 11:13 pm #

    desconstruindo jum nakao

  5. Glauco Sabino 30 de agosto de 2007 às 12:10 am #

    Só pra dar mais um exemplo, é uma verdadeira obra de arte o que Jum fez com os figurinos do seriado “Hoje é Dia de Maria”, da TV Globo…

Trackbacks/Pingbacks

  1. Coluna de domingo no Blog View « Fora de Moda - 26 de agosto de 2007

    […] de domingo no Blog View Leia mais um capítulo da série Por onde costura a agulha de… que é dedicada ao Jum Nakao. Não se preocupem, não vou falar do desfile das roupas de […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: