Moshe e Mona e a arte de se destacar entre 17000 marcas

2 set

OLIVEROS DIZ: É claro que o título é uma pequena brincadeira sobre o assunto desta coluna: as relações entre arte e moda. Aproveito que no sábado (01) aconteceram os lançamentos de Verão da Moshe e da Mona, para discutir as estratégias de se tornar conhecido no mercado de moda brasileira.

A tarefa é difícil. Páre e pense: quantas marcas de moda você conhece e quantas efetivamente você consome?

Moshe, marca de Maurício Pollacsek, que já fez (ou faz?) parte do casting da Casa de Criadores, produziu um desfile-solo — pela segunda vez consecutiva — por causa das datas do evento realizado por André Hidalgo. Pelo que se comenta, Hidalgo está reorganizando seu calendário e pretende realizar em novembro o lançamento das coleções de Inverno 2008.

moshe.jpg
Desfile da coleção de Verão 2007/08 da Moshe Sport

Mesmo sabendo que teria menos espaço na mídia especializada, o estilista tem plena consciência dos seus riscos. “Eu acho importante lançar uma coleção com um desfile, para que as pessoas tomem conhecimento das minhas propostas, além da possibilidade de ampliar meu público-alvo”, declarou Mauricio para o BlogView.

Thais Mol preferiu a intimidade para receber a clientela na sua loja na Galeria Ouro Fino. Ela preferiu investir numa loja própria e fazer um lançamento mais low-profile. Enviou os convites para seu mailing e promoveu uma tarde regada a champanhe na sua loja.

“Meu problema é fazer com que meu público potencial tenha acesso às minhas criações, por isso investi numa loja aqui na Galeria, onde posso atingir um maior número de pessoas”, explica Thaís.

Estes são dilemas básicos que muitas marcas jovens enfrentam: como entrar definitivamente no mercado de moda e deixar de ser um eterno iniciante.

Segundo dados da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest) e do Instituto de Estudos do Mercado Industrial (IEMI ), em 2005, o setor têxtil (vestuário, meias e acessório) empregou diretamente cerca de 1,5 milhões de pessoas e é o segundo empregador na indústria de transformação. Gerando 45% dos empregos no país. O setor têxtil é composto por aproximadamente 17.526 empresas que faturaram em 2005, US$ 20 bilhões com uma produção de mais 5,5 milhões de peças no ano.

Para este universo, temos basicamente duas grandes semanas de moda, uma dedicada aos novos talentos, e algumas iniciativas como Bom Retiro Fashion, Teen Fashion e Semana de Prêt-à-Porter, que envolvem um pouco mais de 150 marcas. Isso em termos do eixo Rio e São Paulo.

As “veteranas” Karlla Girotto e Rita Wainer concordam que além de serem semanas concorridas pelas marcas, porém a questão principal é saber qual a sua infra-estrutura para atender as demandas depois de uma apresentação nas semanas de moda. Este foi um dos motivos da Karlla para aceitar os convites do Paulo Borges para desfilar.

O perigo é você não ter grade suficiente da sua coleção para atender os pedidos e acabar queimada”, declarou Karlla na época de sua estréia no SPFW.

Sempre citadas entre especialistas para desfilarem suas coleções tanto no Fashion Rio, quanto SPFW, Adriana Barra e Cris Barros, continuam preferindo ficar fora deste círculo. São casos muito especiais em que as amizades e clientes estreladas contaram muito para se estabelecessem no mercado.

Cada uma, por diferentes razões, tiveram um um empurrão da sorte. Adriana Barra, por exemplo, se tornou nacionalmente conhecida por causa da novela Belíssima, onde a personagem de Claudia Abreu, Vitória, usou e abusou dos vestidões criados pela estilista, e se tornaram febre nacional. Cris teve várias estrelas televisivas fotografadas com suas roupas, além de modelos como Ana Beatriz Barros e Naomi Campbell, em eventos sociais. Porém, elas são exceções a regra.

O que deu para perceber neste sábado, que mesmo com a ausência da imprensa, o público-alvo de cada uma das marcas compareceu. Produtores de moda circularam nos dois eventos, o que significa que, eventualmente, podemos ter alguns looks em editorias de revistas. O que também ajuda na divulgação.

No fim das contas, o que achei melhor é que as duas marcas conseguiram produzir desejos de consumo. Tanto que saí da loja da Thaís com um lenço de seda pura florido e do desfile do Moshe querendo uma camiseta listrada, um shorts jeans, um tênis All Star em couro branco.

Se conseguiram isso comigo, que não sou público-alvo de nenhuma das duas marcas, espero que eles encontrem seu consumidor final, que pode ser você, não é mesmo?

mona.jpg
Thais Mol mostra vestido da coleção de verão da Mona

LEIA +

Moshe reúne clientes fiéis em desfile no Conjunto Nacional 

Thais Mol lança verão em estilo low-profile

 

 

Anúncios

10 Respostas to “Moshe e Mona e a arte de se destacar entre 17000 marcas”

  1. Oficina de Estilo 2 de setembro de 2007 às 2:38 pm #

    muito muito bom trazer esse tema – rendia um tendências contemporâneas, né? saudades ainda! =)

  2. RodrigoFernandes 2 de setembro de 2007 às 3:45 pm #

    Querido!

  3. Alberto 2 de setembro de 2007 às 7:38 pm #

    relamente entrar no circuito do mundinho fechado que é o universo fashion é dificil.. ams com qualidade e arrojo eles conseguem..

  4. betagermano 2 de setembro de 2007 às 8:16 pm #

    e esses croquis do ronaldo fraga?????

  5. betagermano 2 de setembro de 2007 às 8:26 pm #

    e bot super fé dessa marcas procurarem uma divulgação alternetiva…as vezes dá mais resultado pois poupa dinheiro e esforços que deveriam ser depositados na coleção e não nos shows da semana de moda. Uma coleção bem feita e um bom mailing sustentam uma marca. Um show com corbertura nacional é cool, mas a falta de produto para vender acaba com qualquer empresa!!!

  6. Moda Modes 2 de setembro de 2007 às 11:15 pm #

    Sabe
    até gosto do que vc escreve! ta na cara que tem um longo caminho a percorrer, sorry honey….mas ta ficando cada vez melhor isso aqui….

  7. dusinfernus 3 de setembro de 2007 às 7:19 pm #

    mona e moshe: tudo a ver

  8. Moda retro 8 de setembro de 2007 às 5:52 am #

    Buenas noticias

Trackbacks/Pingbacks

  1. Coluna de domingo no Blog View « Fora de Moda - 2 de setembro de 2007

    […] Coluna de domingo no Blog View Hoje não vou escrever sobre as relações entre Arte e Moda. Aproveito os lançamentos de Verão 2007/08 das marcas Moshe e Mona para discutir as estratégias de conseguir um lugar ao sol no mercado de moda brasileiro no BlogView. […]

  2. Gêmeas apresentam folkrock encantador na Casa das Rosas « FORA DE MODA - 10 de fevereiro de 2008

    […] rápido: ano passado comentei na matéria Moshe e Mona e a arte de se destacar entre 17000-marcas sobre a importância de eventos paralelos às semanas de moda. Claro, que sabemos que desfile é […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: