Meme: 5 livros do Fora de Moda

7 out

OLIVEROS DIZ: A Biti Averbach, a up-to-dater da blogolândia, fez um convite irrestível para participar de um meme literário.

Já no mundo nerd da blogosfera, um meme é uma espécie de corrente transmitida de blog em blog, conforme as pessoas respondem a um tema proposto e o repassam adiante“, explica Biti no seu post. Ainda bem, porque eu não sabia.

Achei a idéia genial, e resolvi estender o convite para os BlogViewers: Luigi Torres, Laura Artigas, Glauco Sabino, Olivia Hanssen, Fernanda e Cris. O Vitor Angelo deve publicar a sua lista no blog dele, porque foi convidado pela Biti, mas ele poderia fazê-lo aqui também!!!

Então, esta semana vamos postar nossas listas???

Listas são meu terror e de muita gente. E definir os critérios, então???

Meu pai sempre leu muito, e era uma imagem que tenho desde a infância, ele sempre com um livro nas mãos. Lia qualquer coisa. Fui um leitor precoce e quando era adolescente, fui muito pedante, claro. Li os clássicos da literatura numa vasta coleção que Abril Cultural lançou na década de 70. O Vitor Angelo tem esta coleção até hoje. Eu era rato de biblioteca. Fiz várias faculdades e só me formei em Arquitetura, onde tenho até Mestrado, li muito.

Depois de muito pensar, resolvi publicar uma lista de livros que de alguma forma me ajudaram a compreender melhor o mundo e as várias carreiras que segui pela vida…

Arquitetura:

italo_calvino.jpg

Italo Calvino

1. CIDADES INVISÍVEIS de Italo Calvino. O autor italiano narra um diálogo fictício entre Marco Polo e Kublai Khan. O navegador conta para o conquistador suas viagens pelo mundo, descrevendo cidades com nome de mulheres. Nestas narrativas reconhecemos pedaços de várias cidades que conhecemos.

Na época da faculdade de Arquitetura, sempre me interessei + pelo urbanismo do que por projeto, tanto que trabalhei anos com meio ambiente nas prefeituras de Santo André e Santos. Este livro me trouxe uma noção poética sobre a cidade, que nenhum livro de arquitetura conseguiu. Trabalhar em prefeitura significava fazer muitos projetos que levam muito tempo para que aconteçam. O que eu fiz, na verdade, foi projetar cidades invisíveis…

Arte:

ze.jpg

Leonilson por  Pablo di Giulio

2. LEONILSON: SÃO TANTAS AS VERDADES, de Lisette Lagnado. Quem me conhece um pouco, sabe da minha paixão pela obra do Leonilson. Na década de 80 comecei a me interessar por artes, frequentava galerias simplesmente por prazer. Quando me deparei com uma obra dele na Luisa Strina, fiquei tão emocionado, me falava tão direto…Foi a primeira vez que eu realmente tinha visto algo em artes que me dava esta emoção.

A Lisette, que se tornou amiga anos mais tarde, é uma testemunha próxima e afetiva do artista. Com este livro pude me aprofundar e conhecer mais sobre um dos meus artistas preferidos.

Dança

isadora-duncan-head.jpg

Isadora Duncan 

3. MINHA VIDA de Isadora Duncan. Eu desde pequeno gostava de dançar. Morria de vergonha e dançava escondido no quarto, no banheiro…adorava dançar por entres cortinas, sempre sozinho. Um dia, uma grande amiga de Santos, Mariana Servulo da Cunha me deu de presente este livro e me levou para as aulas de Klauss Viana. Minha vida inteira mudou a partir daí. Um trecho do livro:

Dancei desde o momento em que aprendi a ficar de pé. Dancei toda a minha vida. O homem, a humanidade, o mundo inteiro precisa dançar. Assim já foi, e assim há de ser sempre. É de todo inútil haver gente que a isso se queira contrapor sem compreender que a dança é uma necessidade natural que nos foi dada pela natureza… Et voilá tout”

Eu continuo dançando até hoje.

Teatro

arrabal.jpg

Fernando Arrabal 

4. O ARQUITETO E O IMPERADOR DA ASSÍRIA do Fernando Arrabal. Eu fazia jornalismo em Santos e um dia fui para Campinas trabalhar com a Akiko Fujita, que fazia um trabalho monumental com cerâmica. Ela acreditava que um dia todo o mundo seria nômade, e precisaria de pousos para a jornada. Ela fazia “casas” de barro, que no final da feitura, tinha um ritual de queima durante três dias, até aquele barro com formas orgânicas se tornar uma cerâmica.

Lá conheci o pessoal do teatro e da dança da Unicamp. Era fora da época de vestibular, mas haviam vários cursos que você poderia se inscrever como aluno especial. Fiquei por lá um ano, participei como ator das peças produzidas pela primeira turma do curso, usando o nome artístico de Ricardo Lima, meu sobrenome do meio. Resolvi prestar o vestibular depois deste período.

Minha cena do teste de aptidão foi justamente o Arquiteto e o Imperador. Me lembro até hoje da cena. Era um galpão grande, com mezanino. Minha turma da Unicamp compareceu em peso para ver. Era o momento em que o Arquiteto (um selvícola) comia (literalmente) o Imperador (o personagem que sofria um naufrágio na ilha) em um banquete. Eu com uma caveira de verdade [que peguei com um amigo da Medicina] nas mãos, tomava um iogurte cremoso que saía de dentro dela. Uma alusão do líquido amniótico, que estava no texto e que seria a fonte de conhecimento humano. Neste momento o Arquiteto se transforma em Imperador. O galpão veio abaixo com a cena…

Final da história, passei no teste e zerei em química na segunda fase e não passei no vestibular. Depois prestei Arquitetura e me formei…

Moda

barthes.jpg

Roland Barthes 

5. IMAGEM E MODA, Roland Barthes. Editora: Martins Fontes.

O livro “O sistema da moda”, de Roland Barthes, lançado pela Editora Nacional em 1979, está esgotado, mas a Martins Fontes lançou cinco volumes com textos do autor que estavam dispersos em revistas, jornais e outras publicações. O terceiro volume é Imagem e Moda.

Em O sistema da Moda, Barthes analisa a contribuição do discurso verbal para o sistema da moda, presente nos textos de revistas do gênero, e discute a motivação das pessoas para o consumo. O original foi escrito entre 1957 e 1963.

É o livro que acho fundamental para quem mexe com moda. Muita coisa mudou depois que o Barthes escreveu este livro, mas ainda assim, continua uma sendo uma análise que ajuda a entender as engrenagens do mundo fashion. Quando estava pensando na Viés, este foi o livro fundamental para a exposição. 

Anúncios

5 Respostas to “Meme: 5 livros do Fora de Moda”

  1. Biti Averbach 7 de outubro de 2007 às 10:41 pm #

    seleção finíssima: tipo biscoito fino! 😉 bjs e thanx!

  2. Ale Carvalho -Lain 9 de outubro de 2007 às 3:34 pm #

    Eu adoro este livro do Italo Calvino. Li o volume numa viagem de férias e foi muito mais interessante perceber lugares e comparar à descrição do “marco polo”. Gosto de Barthes tb. 🙂

Trackbacks/Pingbacks

  1. Meme: 5 livros do Fora de Moda « fora de moda - 7 de outubro de 2007

    […] Leia tudo no BlogView!!! […]

  2. Oficina de Estilo » Blog Archive » cinco livros preferidos (nesse momento!) - 9 de outubro de 2007

    […] listinha de cinco livros que foram importantes nas nossas vidas. A Biti foi a primeira a fazer, o Oliveros em si já postou a dele, o Luigi também fez e ao longo da semana todo mundo que escreve no BlogView vai fazer também. No […]

  3. Meme: 5 livros Descolex « BlogView - 16 de outubro de 2007

    […] 5 livros Descolex GLAUCO DIZ: Semana passada o Oliveiros convidou o pessoal aqui do BlogView para um meme literário. Mesmo com certo atraso, posto a minha lista. O […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: